FUTEBOL CLUBE DE AVINTES

 


FC AVINTES TEM SABIDO MANTER A APOSTA NO FUTURO

Era uma vez um clube, iniciado por gente que gostava, e queria, praticar desporto, especialmente o pontapé na bola. Avançou, consolidou-se e soube resistir aos tempos, adaptando-se. E bem verdade que não poderá ser considerado um dos gigantes do meio desportivo nacional. Mas, no seu espaço, soube manter uma influência mobilizadora e sabe o quão importante é estar virado para o futuro.

"Desenvolver a vigor e a destreza física, o espírito de iniciativa e o rapidez nas decisões; o lealdade e o coragem; o sentimento da responsabilidade e o dignidade pessoal, o amizade, o solidariedade, a honra e o patriotismo". Estes são os objectivos que, em 1923, nortearam os fundadores do Futebol Clube de Avintes.

"Associação Desportiva de Utilidade Pública», foi também louvado e agraciado pela autarquia e pela AF Porto. O F C Avintes foi, igualmente, agraciado pelo Governo com a Medalha de Mérito Desportivo, aquando das suas «Bodas de Diamante", pelo relevante trabalho desenvolvido nas modalidades de futebol, atletismo e voleibol', pelo empenho colocado na valorização do património, com relevo para a construção do complexo desportivo que se encontra em curso

O «ESFÉRICO EM MOVIMENTO»

Recentemente, a FC Avintes perdeu algum do seu eclectismo, com o desaparecimento das modalidades de voleibol e atletismo. No entanto, e no dizer de Joaquim Lima Magalhães, o presidente da Direcção, ganhou dimensão na exclusividade do futebol, onde milita em todos os escalões masculinos.

É bem verdade que, apesar de ter obtido alguns êxitos, e forjado campeões noutras modalidades, o «desporto.-rei» sempre foi o razão primeira do seu viver. O «Avintes» já se sagrou campeão distrital do Ponto por várias vezes e em diversos escalões. Esteve, por mais de uma vez, no limiar da segundo divisão nacional, competindo, por várias épocas, na terceira divisão,  onde,  aliás,  se  encontra  na  presente temporada, com assinalável mérito.

A respeito da filosofia que, hoje em dia, preside à gestão do futebol do clube, convém dizer que esta passa por erigir a formação em principal aposta. E o bom rumo do opção tomado tem sido confirmado pelo facto de ter vindo a sair das camadas mais jovens um apreciável número de atletas que vão «alimentar» a equipa principal. Muitos deles acabam poise tornar «apetecíveis» para clubes de maiores dimensões que, inevitavelmente, os vêem buscar.

A este respeito, convém assinalar que um dos mais apreciáveis pergaminhos do FC Avintes constitui-se no facto de, durante muitos anos, ter alinhada exclusivamente com atletas da terra. Além disso, a sua vocação de clube formador tem permitido, também, que o clube avance com outras empreitadas. Acentue-se que os primeiros fundos angariados para a edificação do novo estádio resultaram da transferência de atletas seus.

Pois é ! Já diz o poeta: "O Homem sonha, Deus ajuda  e a obra nasce". E o novo estádio, qual Graal clubístico, começa-a vislumbrar-se. Com um investimento que já supera os setenta mil contos, as obras aguardam a concretização de subsídios oficiais paro que a sua ultimação faseada se concretize no mais breve espaço de tempo possível.

A vedação, o arrelvamento, as bancadas, o campo secundário e as instalações administrativas e sociais serão complementadas com o instalação de um posto de abastecimento de combustíveis e uma estação de assistência a viaturas, encontrando-se em funcionamento os campos de ténis programados. Todo este projecto ancora-se, nas palavras do presidente, "no inegável espírito de querer dos avintenses".

As Memórias

O primeiro trofeu conquistado pelo FC Avintes ocorreu em 1926, frente ao FC Gaia, então batido por 2-1. E, no início da década de trinta, o clube consegue ser tri-campeão concelhio. Na parte final da década (1937-38-39), consegue mesmo meter o pé nos nacionais, disputando o Campeonato Geral da 2.ª Divisão, onde compete com clubes como o Braga e o Boavista.

Campeão regional em 1956, em 1967 e em 1971, compete várias vezes na 3.ª divisão nacional. Já na presente década, volto ao nacional em 1991 e após  o vice-campeonato distrital de 1995, regressa à «terceirona», onde presentemente se encontra, dirigido pelo presidente Joaquim Magalhães e pelo treinador Guilherme Baldaia.

Como já se referiu, também o atletismo e o voleibol contribuíram para engrandecer o «Avintes». A nível das competições distritais, em todos os escalões, o clube soube granjear uma posição de prestígio e teve capacidade para fomentara prática desportivo e lançar atletas para o desporto nacional.

Mas, como sabemos, os tempos estão difíceis para os agremiações desportivos e especialmente para as mais pequenas, que não aglutinam as grandes massas de adeptos e, logo, não têm o poder de atrair as atenções e apoios. Assim, houve que racionalizar meios e, como vimos, essas modalidades desapareceram.